Receba as novidades por e-mail!
Home | Sobre | Livros | Autores | Notícias | Conselho Editorial | Contato
Diálogo Entre Os As
Autor(a): Geraldo Correa de Carvalho Filho
ISBN: 978-85-63853-40
Lançamento: 12/10/2013
Formato: 14cm X 21cm
80 paginas
Preço: R$20,00

Ao terminar este livro, que trata de diversos assuntos, fiquei pensando qual o tipo de literatura que predomina, qual a que prevalece, seria um conto? (Não, conto não é), uma crônica (muito menos) ou um romance (também não). Vamos ver se vocês me ajudam nessa tarefa, o enfoque principal que bem poderia ser um subtítulo do livro seria: “Lição de casa”; Explico melhor: quando pequeno ao perguntarmos à nossa mãe (ou a outro adulto) se poderíamos sair para brincar, a resposta era automática: — Faça primeiro a lição de casa, depois você sai; pois bem, a maioria dos homens passa toda a vida, do nascimento ao leito de morte sem terem feito a lição de casa. Essa lição vem do autoconhecimento, do silêncio, da solidão necessária, para que possamos despertar e tomarmos conhecimento de nossa alma que, em última análise, é o único valor realmente absoluto em nossa existência. Caso não façamos isso nossa vida não terá sido em vão, pois nenhuma vida é em vão, mas teremos saídos de casa sem termos feitos a lição e perdido mais uma chance divina de vivermos em plenitude.

Então estamos diante de um livro de autoajuda? (É, acho que sim). Os críticos irão dizer que autoajuda não é literatura. Então eu pergunto: O que é literatura? Acaso todo romance é um Shakespeare? (Não, não é) ou todos os livros de poesia são um Fernando Pessoa ou um Carlos Drummond de Andrade? (Não, não são) e, no entanto, os livros de poesia e os romances são literatura. Por que com a literatura de autoajuda tem de ser diferente? Estaríamos diante de um preconceito? Vejamos, Ralph Valdo Emerson é tido por muitos como uma literatura de autoajuda, mas ao lermos “ENSAIOS – Primeira Série” de sua autoria deparamos com uma literatura de primeiríssima linha; Então não vamos nos assenhorar donos da verdade (como se a verdade pudesse ter dono), dizendo o que é ou não é literatura. Se alguém escreveu algo, por mais simples que seja, é porque sentiu necessidade de exprimir um sentimento, uma ideia e qualquer pessoa que escreve algo está fazendo literatura; Combinado? Espero sinceramente que gostem deste livro e que lhes seja útil. Obrigado.      

 

Outros livros desta categoria:

COLECIONADOR DE TEMPO
De: Antonio Carlos Augusto Gama
MENOS
De: Lucas Arantes
INTIMISMO
De: Fernanda Junqueira
Quadras Ao Gosto Popular - Fernando Pessoa
De: Lau Baptista
Brincando de Ser Estilista
De: Taisa Castro
Jubileu de Brilhante - 75 anos da Associação Musical de Ribeirão Preto
De: Gisele Laura Haddad
Um homem quase perfeito
De: Neusa Bighetti
Iguais, porém diferentes
De: Adriana Silva
Quatro Ensaios sobre Música e Filosofia
De: Rubens Ricciardi
www.editoracoruja.com.br ® Todos os direitos reservados | Política de Privacidade | Contato
Desenvolvido por